Política e Antagonismo Lúcido

POLÍTICA E ANTAGONISMO LÚCIDO

Reflexão insistente, que força externação!

Orientando meu voto para a próxima eleição presidencial cultuo lúcidas condições antagônicas; CONVICÇÃO e SONHO!

A CONVICÇÃO, seguramente estabelecida e irrevogável, garante que, em outubro próximo, no voto presidencial inicial, escolherei ela ou ele em qual minhas avaliações e deduções indicarem possuir maiores e melhores condições para realização de governança séria, honesta, competente e eficiente, promovida por meio da realização de projetos sadios e sensatos, seguramente voltados aos atendimentos dos interesses da nação e das necessidades dos cidadãos brasileiros, com maior ênfase na sólida assistência voltada aos mais carentes, em eficientes atendimentos à saúde pública, principalmente ampliando os indispensáveis sistemas do SUS, e em gigante e vital dedicação ao estímulo, incentivo e realização de ótimos sistemas e aperfeiçoamentos educacionais, culturais e científicos, principalmente aos voltados às nossas crianças e jovens, acompanhados da indispensável, intensa e alta valoração dos professores e educadores.

Ainda na CONVICÇÃO, acontecendo retorno à votação em segundo turno, eventualmente com resultado atualmente exibido pelas pesquisas como sendo politicamente o mais provável, que leve ao confronto final o postulante presidente que pratica sua campanha eleitoral desde o primeiro dia de 2019, com lúcida certeza votarei no(a) oponente dele, SEJA QUEM FOR, mesmo que exista a possibilidade de se revelar incapaz para atender plenamente aos anseios da nação, VEZ QUE, COM ABSOLUTA CERTEZA, por mais ineficiente que eventualmente venha ser, nunca conseguirá ser pior, mais desastrado e mais incompetente que o atual governante e os asseclas da súcia que criou e lidera!

O SONHO, deleitando minhas aspirações, é a esperança de que aconteça algo equiparado à “milagre” – hoje politicamente reconhecido como irrealizável -, no desejo de que o atual tresloucado dirigente maior, que lidera perniciosos asseclas incompetentes, desastrados, malignos e corruptos dirigentes da nação, seja literalmente alijado de um eventual segundo turno, sendo arremessado para colocação entre os menos votados, preferencialmente o último, em destruidora e vergonhosa condição de exemplar lição como resultado justo e merecedor pelas incompetências e irresponsabilidades praticadas.

São decisões e aspirações antagônicas, mas conscientes e irreversíveis!

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP
20 de abril de 2022