Windshear fenômeno meteorológico que afeta voos de aeronaves

Windshear – Fenômeno meteorológico raro e severo, que afeta os voos de aeronaves, principalmente quando acontece próximos a pistas durante operações de pousos e decolagens.

Windshear ou, tesoura de vento, cortante do vento ou ainda cisalhamento do vento, é uma rápida variação de fortíssimas correntes de ventos, com diferentes direções, causando esse efeito na “zona limítrofe” entre as duas correntes.

O fenômeno pode ocorrer em todos os níveis de voo, mas são mais perigosos em baixas altitudes, quando envolvendo aeronaves em operações de pouso ou decolagem, com rapidíssimas variações nas direções e nas velocidades das correntes de vento, simultaneamente originando violentas turbulências.

Nos últimos anos e atualmente, com o intenso aperfeiçoamento nas observações e previsões meteorológicas, é raríssimo um piloto ser surpreendido por esse fenômeno, que geralmente é observado e/ou previsto, imediatamente gerando instruções dos controladores de tráfego aéreo alternando os destinos das aeronaves para outros aeródromos, e prorrogando as decolagens previstas.

No mundo são conhecidos poucos casos antigos de aeronaves acidentadas em decorrência desse fenômeno, principalmente no momento do pouso, quando estão com mínima velocidade de voo, e reduzindo, portanto, com baixa sustentação. Nas decolagens a severidade geralmente é pouco menor, em razão da velocidade estar aumentando.

Embora outros fenômenos possam dar origem ao Windshear, é mais comum acontecer na presença de nuvem de tempestade severa, a exemplo da Cumulonimbus, ou CB, na nomenclatura meteorológica, conforme demonstração na ilustração que segue, acontecendo principalmente na região circundada em vermelho, onde as direções e velocidades divergentes são mais severas. Ainda mais raros, podem acontecer sem a presença local de nuvens de tempestade, quando são identificados como tempestades de “de céu claro”.

Veja a seguir uma imagem mais próxima da realidade, de um CB presente sobre uma pista de pousos e decolagens de aeronaves, e as diversas variações possíveis nas direções dos ventos. Na realidade os pilotos nunca prosseguem com seus pousos ao, de bastante longe, observarem essas nuvens!

Veja a seguir uma ilustração do efeito desse fenômeno sobre uma aeronave que se aproxima para pouso, se e quando um piloto for surpreendido pelo mesmo fenômeno em “céu claro”, ou, sem a presença de nuvens próximas, fato ainda mais raro de acontecer.

Conheça também outro fenômeno, igualmente raro, mas de conhecimento importante para a aviação; o Microburst, ou “Explosão de Vento”.

Microburst – “Explosão de Vento”
Grave ocorrência meteorológica

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP