Técnica e Postura nas Tacadas

Com poucas exceções, todos iniciamos a prática da Sinuca observando outros jogadores, ou por meio de mínimas orientações de terceiros, que geralmente também assim aprenderam.

Nessa forma, e praticando regularmente, até poderemos conseguir um desempenho satisfatório, com qualidade razoável, mas fatalmente atingiremos um estágio onde a progressão será interrompida e não conseguiremos melhorar, restando-nos admirar as “feras” do esporte e imaginar que nunca conseguiremos adquirir tais habilidades.

Engano! Podemos melhorar, sim!

É claro que alguns privilegiados com o dom natural terão maiores facilidades, mas, sem dúvida, com orientação adequada todos conseguem aperfeiçoamentos, por meio da dedicação na correção dos hábitos imperfeitos, adquiridos no aprendizado básico incorreto.

Sem orientação na iniciação são adquiridos atos, costumes e posições inadequadas, que dificultam ou impedem o progresso técnico. Para jogar Sinuca com boa qualidade técnica, além do conhecimento das regras e regulamentos da modalidade, as tacadas exigem encontrar o ângulo exato no direcionamento entre as bolas tacadeira – branca – e visada, manter o corpo em posição e alinhamento corretos em relação às bolas em uso na ação, observar atentamente o ponto de toque da sola do taco na bola branca, e executar os movimentos perfeitamente coordenados. É quase desapercebido pela maioria, mas, além do ponto de toque da sola do taco na bola branca, a “sutileza” nessa ação é igualmente vital.

Identificada e exaustivamente praticada a postura correta, o passo seguinte será insistir em treinamentos específicos, que garantirão a segurança nas futuras tacadas contra oponentes. Ainda que se mostrem entediantes nas etapas iniciais, alguns exercícios especiais devem ser rigorosamente seguidos, antes de aventurar-se em jogos, ainda que por lazer.

O ideal é que isso aconteça na iniciação! Entretanto, embora com maior dificuldade, o já praticante também consegue corrigir sua postura e eliminar hábitos prejudiciais. A experiência mostra que o progresso é acentuado e diretamente proporcional à dedicação e boa disciplina.

O melhor será receber ensinamentos de instrutor habilitado ou de jogador experiente, que tenha afinidade com a transferência de conhecimentos, ou, ensino.

Na impossibilidade, também é eficiente a auto instrução, seguindo lições editadas. O livro “Snooker: tudo sobre a sinuca” (L&PM, 2005, de Sergio Faraco e Paulo Dirceu Dias), além normas do esporte e sua história no Brasil e no mundo, tem orientações sobre os instrumentos de uso e algumas lições básicas indispensáveis ao iniciante.

Para obter informações sobre instrutores e/ou praticantes com condições de boa orientação, consulte a Federação de Sinuca e Bilhar do seu estado, cujos meios de contato podem ser conseguidos no site da Confederação Brasileira de Bilhar e Sinuca – CBBS.

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP