Partidos Políticos e Investigações

Corruptos e corruptores na política: onde está a maioria? Quais e em quanto tempo serão desmascarados os próximos?

Com tantas evidências claras anunciadas nos últimos tempos, de forma crescente, com tantos indícios límpidos, praticamente certezas, que vem sendo frequentemente divulgados, creio ser justo considerar “muito suspeito” que nossas autoridades ainda se mantenham lenientes em relação aos partidos políticos, todos, sem exceção, dos nanicos aos gigantes!

Se os órgãos fiscalizadores estivessem realmente querendo atingir diretamente o “olho do furação”, bastaria requerer dos setores competentes a autorização para a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de todos os nossos partidos políticos, das pessoas jurídicas e de todos os seus dirigentes nos últimos anos, bem como, quando a ocorrência mostrar a necessidade, fazer o acompanhamento e gravação legal dos contatos telefônicos, eletrônicos e demais meios de comunicação.

Além dos flagrantes nos diálogos e nas mensagens telefônicas e eletrônicas, e das incoerências nas declarações às Receitas Federal e Estadual, uma investigação sobre os registros de créditos, em seus valores e origens, e de débitos, em valores e destinos, os levarão com precisão cirúrgica às fontes e aos destinatários, que os justificarão, ou terão muito o que explicar, se o conseguirem, como vem acontecendo na “Operação Lava Jato”, com grande eficiência, mas ainda atingindo apenas a “ponta do iceberg”! Direcionando investigações objetivas e diretamente endereçadas aos partidos e seus dirigentes, certamente muitos novos, grandiosos e envolventes escândalos surgirão!

Adicionalmente vale comentar que, outra fonte de criminosas falcatruas são as licitações públicas! Na quase totalidade das que foram investigadas, exibiram desvios e crimes inimagináveis, sempre envolvendo partidos e financiamentos políticos. Se assim é, basta determinar a investigação de todas – literalmente – as licitações firmadas, e a modernização das que estão em curso e futuras.

Como os resultados são facilmente previsíveis, e ainda não providenciaram essa básica iniciativa, fica a indagação; Está faltando disposição ou coragem?

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP
18.02.2016