OVNIS e Extraterrestres

OVNIS E EXTRATERRESTRES

MINHAS CONSIDERAÇÕES

São fatos ou criativas invencionices? Reconheço; é assunto controverso, polêmico e envolvente!

Confesso; nos últimos recentes períodos me senti induzido a alterar minha forma de pensar a respeito desse tema!

Durante longo tempo acompanhei e aceitei as respostas oferecidas por experientes e sérios astrofísicos, às perguntas;

OVNIS existem?

Periodicamente extraterrestres tem visitado nosso planeta?

Com mínimas variações, os esclarecimentos predominantes sempre foram;

“É provável que alguma forma de vida extraterrestre exista em distantes astros cósmicos!”

“É improvável, praticamente impossível, que alienígenas nos visitem em seus OVNIS!”

 Assim eu também pensava!

Entretanto, nos últimos tempos várias ocorrências me fizeram alterar essa forma de conjecturar, passando a considerar que são bastante fortes as evidências e as possibilidades de que algo mais sério e mais consistente deve estar acontecendo!

Esclareço!

Em tempos recentes os inúmeros militares consultados, principalmente das Forças Aéreas, vêm reduzindo e relativizando suas antigas e frequentes negativas a respeito das “aparições de OVNIS” e fenômenos interligados, além de também passarem à simplesmente declarar ignorância sobre os fatos “mais evidentes”! Igualmente, os astrofísicos integrantes da NASA também passaram a “ignorar” tais relatos e seus questionamentos, curiosamente se recusando a comentar as declarações pertinentes, quando antes as desmentiam.

Mas, os “estranhos fenômenos” continuavam sendo “observados” e relatados, periódica e intermitentemente, geralmente com significativos intervalos de tempo, ou, eventualmente, sendo “exibidos” de forma mais intensa, “mais numerosa”!

Um LIVRO com fortíssimas evidências.

Em maio de 2021, mês do seu lançamento, li exemplar do livro brasileiro “A noite oficial dos UFOs no Brasil”, 2021, de Jackson Luiz Camargo, 214 páginas, Editora A. J. Gevaerd Ufologia.

Relatando ocorrências antes “secretas”, recentemente reveladas e confirmadas pela Aeronáutica, o livro aborda importantes acontecimentos que reportam grande número de “avistamentos” e “perseguições” de caças militares à “discos voadores”, focando principalmente em certo curto período de dias e noites, com maiores e mais significativos acontecimentos relatados na noite de 19 de maio de 1986, geralmente citada como “a noite oficial dos óvnis”.

Naquele período, e principalmente naquela noite, muitos registros e testemunhos ocorreram e foram documentados, principalmente nos estados de Goiás, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo, um deles particularmente especial e mais significativo para mim, em razão do descrito a seguir, ocorrido no espaço aéreo da cidade de São José dos Campos, SP, sede da EMBRAER, no Vale do Paraíba.

O livro surpreende pelo grande número de relatos, todos acompanhados de farta documentação oficial reproduzidas em suas páginas, com detalhes inequívocos que oferecem nomes dos envolvidos, a maioria militares, com suas patentes, datas, momentos, ricos detalhes ratificados em reuniões “oficiosas”, mas documentadas, muitos dos casos observados simultaneamente por mais de uma pessoa. Inúmeros “códigos QR” estão exibidos nas páginas do livro, podendo ser lidos por qualquer aparelho celular, remetendo a documentos ufológicos, gravações aeronáuticas entre os pilotos e controladores de voos, e operadores de torres de controle envolvidas, em fartura de arquivos que situam o leitor em espantosos episódios ufológicos.

Um dos relatos no livro me impressionou muito, por envolver diretamente importante e seríssimo personagem brasileiro, que não participaria de histórias duvidosas e/ou suspeitas, quando inequivocadamente observou por aproximadamente 30 minutos algumas das “aparições”, relatadas por ele e por seu colega militar, que com ele estava no comando de voo oficial, com muitas minúcias confirmadas oficialmente por ambos! Se trata do nosso competente e honradíssimo Ozires Silva.

Dele, Ozires Silva, sabemos que; é piloto militar e engenheiro aeronáutico brasileiro, foi ministro da Infraestrutura e ministro das Comunicações do Brasil, fundador e presidente da Embraer, presidente da Petrobras e da Varig, reitor da Unimonte, chanceler da Universidade São Judas e presidente do Conselho de Inovação da Ânima Educação. É destacado e homenageado como integrante da “Santíssima Trindade da Aeronáutica Brasileira”, juntamente com Santos Dumont e o brigadeiro Casimiro Montenegro Filho, criador do ITA”.

E, o que tem Ozires Silva com as histórias de OVNIS?

Afirmando que, consultados, ambos confirmaram as ocorrências que seguem, entre diversas outras menções o autor do livro, em relato iniciado na página 55, registra e detalha ocorrência testemunhada por Ozires Silva e seu colega militar Alcir Pereira da Silva, que estava no comando da aeronave Xingu, jato executivo da EMBRAER, prefixo PT-MBZ, na qual Ozires atuava na condição de copiloto, para esse voo.

Resumo dessa ocorrência, extraída do livro citado.

Convocado à Brasília pelo então presidente José Sarney, Ozires voou para lá no dia 19 de maio de 1986, onde foi convidado a deixar a presidência da EMBRAER e assumir a presidência da Petrobrás, missão que ele prontamente aceitou. Encerrada a audiência com o presidente, Ozires rapidamente iniciou seu voo de retorno à São José dos Campos, SP, de onde tinha partido na manhã do mesmo dia.

Durante o voo de retorno, por meio das comunicações rádio, os dois pilotos militares, Ozires e Alcir, acompanharam relatos radiofônicos de “aparições e perseguições de OVNIS”, detalhadas por outros pilotos e diversos controladores de voos.

Pouco antes das 21h00, já se aproximando de seu destino, eles se comunicaram com os controladores de voo e passaram a tentar visualizar os objetos citados, alternando várias proas, quando, minutos depois, avistaram UFOS, um à esquerda e, logo em seguida, outro na direita da aeronave.

Em certo momento testemunharam que um deles alterou a posição para o lado oposto, ultrapassando à frente da aeronave. Em seguida, sempre confirmado pelos radares, o outro objeto voou para a parte traseira do Xingu, ainda acompanhando a aeronave. Contatos com os controladores confirmavam as visualizações e as indicações radar, com diversas mudanças de proa, até às 21h30, quando finalmente pousaram em São José dos Campos.

Posteriormente, indagado sobre sua experiência, Ozires Silva declarou;

“Na altura de 600 metros, vimos pontos luminosos de cor laranja-avermelhado e com brilho muito intenso. As luzes apagavam e acendiam em lugares diferentes, entre 10 a 15 segundos. Observamos variações muito rápidas de velocidades. As luzes tinham presença reais, eram alvos primários de radar, alvos positivos, uma coisa concreta. Se não fossem detectados pelos radares, eu não teria falado nada. Está registrado pelo radar.”

As múltiplas ocorrências de visualização de UFOS nessa noite colocaram em alerta toda a defesa aérea brasileira, com acionamento de diversos caças à partir de várias bases militares da região. Foram inúmeros os contatos visuais confirmados, com ratificações por registros indicativos nos radares, em terra e nas aeronaves, que também se alternavam, muito, entre “aparecendo e desaparecendo” visualmente e nos plotes dos radares, além de se movimentarem em voo de forma impossível para as nossas aeronaves, alterando instantaneamente as velocidades e posições, passando de estacionárias para aceleradíssimas velocidades supersônicas, para diferentes direções, à frente, atrás, acima, abaixo, em linha reta, alternando em “ziguezagues”, ora com iluminação destacada, ora “desaparecendo” no escuro da noite.

Outro fato bastante curioso é detalhado; por volta das três horas da manhã da mesma noite, um Boeing 707 cargueiro, da VARIG, com quatro tripulantes a bordo, dois no comando, todos identificados, fazia a rota de Guarulhos, SP, ao Galeão, RJ. Ao atingirem 12 mil pés os controladores de voos questionaram os pilotos, indagando se eles “avistavam tráfego” à frente da aeronave, ligeiramente na esquerda (“posição 11 horas”). Informando que nada avistavam, os pilotos foram alertados que se tratava de “alvos não identificados”, vistos por outros pilotos naquela região, e detectados por radares.

Na sequência imediata, enquanto conversavam o piloto avistou objeto com forte luz, na posição indicada, “brilhando como um farol branco”, que em seguida desapareceu. Imediatamente em seguida, quando novamente indagados, enquanto respondiam que não mais o avistavam, o objeto literalmente piscou a sua iluminação, como querendo afirmar; “Estou aqui”!

Essa ocorrência e dezenas de outras exibições de manobras “organizadas”, todas detalhadas no livro, documentadas, confirmadas visualmente e registradas nos radares, permitiram considerar que os condutores dos UFOS  “estavam ouvindo e entendendo” as transmissões radiofônicas!

Outra das várias ocorrências “organizadas” relatadas pelos controladores dos radares de terra, registradas por gravações dos plotes nos radares, confirmou que, 13 objetos voadores iluminados seguiram por alguns minutos um dos caças militares em voo, em formato triangular, ou delta, como voam as aves migratórias, com exatos 6 de um lado e 7 do outro, em perfeita formação organizada! Na época, essa ocorrência e diversas outras similares, que demonstraram organização “inteligente”, levaram à dedução de que os condutores dos objetos voadores “queriam” ser notados e observados, como em confirmação de suas presenças.

Muito mais que os casos citados, grande número de relatos documentados são detalhados no livro citado.

Antes, em 1982, o intrigante voo 169 da VASP.

Ocorrido poucos anos antes das ocorrências citadas no livro, outro fato relevante precisa ser relatado, em razão da importante visualização de UFO ter sido testemunhada e registrada por diversos tripulantes e grande número de passageiros de voo comercial.

Na noite de 8 de fevereiro de 1982 um Boeing 727 decolou de Fortaleza, CE, com destino ao Rio de Janeiro, no voo 169 da VASP, sob o comando do piloto Maciel de Britto. Algum tempo depois, às 03h12 da madrugada, os pilotos observaram objeto estranho, com luz muito forte, “acompanhando” o voo à esquerda da aeronave. Não conseguindo o identificar, o comandante optou por alertar sua tripulação e os passageiros sobre o fato. Emocionada, uma das comissárias alertou os passageiros ainda sonolentos de que “(…) um disco voador estava lá fora, na esquerda da aeronave.”!

Todos avançaram para as janelas do lado esquerdo, e, lá estava, de fato, o objeto luminoso! “Parecia umas oito estrelas juntas, com um clarão azulado”, contou na época a passageira Lígia Rodrigues, estudante e fotógrafa paulista. 
“Era como uma bola de futebol incandescente.”, disse Elaine Belache. “(…) às vezes voava mais rápido que o avião, outras vezes mais lentamente”, lembrou Walter Macedo, funcionário do Jockey Club de São Paulo.
   Entre os 151 passageiros que testemunhavam curiosos, observando e fotografando pelas janelas, um preferiu se manter alheio à generalizada confusão; era o ilustre Dom Aloísio Lorscheider, na época cardeal-arcebispo de Fortaleza. Mais tarde, indagado sobre a experiência, declarou “(…) ser indiferente aos mistérios do céu, preferindo deixar o disco voador para lá“!
    “Às vezes se mantinha próximo, em outras mais distante, chegando a ficar há uns 15 quilômetros da aeronave, constantemente mudando de cor, entre o vermelho, laranja, azul e branco”, relatou depois o comandante Britto, com a concordância de vários passageiros. Com câmeras na bagagem de mão, alguns dos passageiros fotografaram o acontecimento.
   Voando na mesma rota, outros dois pilotos, um da Transbrasil e outro da Aerolineas Argentinas, também declararam ter visto a luminosidade.
   Solicitando atenção dos controladores de voo da região, o comandante Maciel de Britto obteve como resposta; “(…) VASP 169, estamos detectando um objeto a 8 milhas de sua nave.”.
   O objeto não identificado continuou sendo avistado por aproximadamente 90 minutos, até as proximidades do aeroporto do Galeão, quando saiu da lateral e posicionou-se à frente do avião, depois desaparecendo!

Então!

É possível afirmar não serem fatos relevantes? Ou deles duvidar?

E, mais recente, no final de dezembro de 2021, foi noticiado fato no mínimo “curioso”, mas também e principalmente empolgante!

Se preocupando com o tema “alienígenas”, cientistas da NASA, especialistas em astrofísica, convocaram e realizaram “debates” com importantes e lúcidos religiosos diversos, sobre “vida extraterrestre”! Mesmo isoladamente, tal ocorrência permite considerarmos seriamente que os integrantes da NASA devem ser detentores de conhecimentos consistentes desse assunto, e/ou de fortes evidências, que levam a crer na grande possibilidade de que tais “revelações” e/ou “encontros” possam acontecer brevemente!

Agora, mais uma evidência intensa é o recente lançamento, em 25/12/2021, do “Super Telescópio Espacial James Webb”, já no espaço, neste momento navegando com sucesso em direção ao seu destino, o “Ponto de Lagrange L2”, em órbita solar escolhida, onde proximamente, ainda em 2022, entre muitas outras observações, iniciará diversas apuradíssimas e importantes investigações de espaços cósmicos hoje pouco conhecidos, e outros ainda desconhecidos, atualmente considerados como “intrigantes”, por exibirem a possibilidade da existência de planetas e exoplanetas que os atuais conhecimentos indicam possuírem condições que poderiam suportar ou conter algum tipo de vida!

Querendo conhecer mais detalhes sobre o “Super Telescópio James Webb” e seu lançamento, no site da NASA, use o link; http://snookerclube.com.br/lancado-telescopio-espacial-james-webb/.

Com tantos acontecimentos, os aqui relembrados e muitos outros indicados em matérias e livros diversos, principalmente o aqui citado, que exibe grande volume de documentos comprobatórios e testemunhos confiáveis, creio ser praticamente impossível rejeitar a consideração de que algo de sólido, sério e consistente está para ser revelado e/ou promovido!

Então, com tudo isso, consegue responder;

OVNIS e Extraterrestres são criativas invencionices, ou fatos?

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP

04 de Janeiro de 2022