Movimentações Financeiras e Transparência

Ao serem nomeados, concursados ou eleitos para a gestão pública, os cidadãos assim privilegiados passam a ser os nossos representantes, para agir e decidir em prol do bem público. Seus proventos são supridos pelos tributos que pagamos, portanto, são por nós “sustentados”!

Assim sendo, por estarem usando e administrando bens públicos, defendo com veemência que, tudo o que acontece com os mesmos deve ser e permanecer registrado em documentos legais, com instantânea divulgação pelos meios de comunicação, utilizando a Internet, de maneira clara, límpida, simples e fácil para consultas da população.

O mesmo, principalmente, deve acontecer para todos os movimentos financeiros, de qualquer tipo, qualidade, condição e valor, ainda que “de centavos“, literalmente, indicando limpidamente a origem de todos os créditos, e os destinos de todos os débitos.

Dessa forma, qualquer cidadão poderá acompanhar os trabalhos executados pelos gestores públicos, e, também e principalmente, de onde vem e para onde vão os valores por eles movimentados para manter seus atos e a máquina pública funcional, administrativa, executiva, legislativa e judiciária.

Da mesma forma, além daqueles nomeados especificamente para esse fim, técnicos e profissionais especialistas poderão avaliar todos os movimentos financeiros praticados, livre e permanentemente, imediatamente acionando denúncias e meios investigativos e corretivos, quando justamente devidos.

Com os meios tecnológicos hoje disponíveis, fazer isso é questão apenas e somente “de vontade” e disposição. Programas virtuais para atingir tais metas já existem, merecendo apenas e somente poucas e pequenas adequações! Serve como exemplo o exemplar e eficiente sistema das Receitas Federal e Estadual, que acompanham e fiscalizam o “dia-a-dia” e as movimentações financeiras do cidadão. Bastam ajustes e adaptações, para fazermos o mesmo, com rigor ainda maior, no acompanhamento de todos os atos de administradores e gestores do bem público, do mais humilde servidor até o mais alto escalão, incluindo a Presidência da República!

Vamos fazer justiça ao cidadão?

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP
18.02.2016