Glossário dos Jogos do Bilhar

AÇÃO – Ato e tempo usado na avaliação, preparação e execução de tacada, impulsionando bolas.

ADVERSÁRIO – Oponente de jogador.

AJEITAR A BOLA – Jogar, impulsionando a tacadeira para outro ponto que facilite a tacada seguinte (preparar a bola).

AGRAVADA – Indicativo de situação na qual resultados podem gerar consequências severas.

AMBIENTE DE JOGO – Espaço ocupado pela mesa e entorno útil ao jogo.

ÂNCORA – No jogo do bilhar, pequena área demarcada no campo de jogo, junto às tabelas, determinando restrições para jogadas (área de restrição).

APITAR – Abreviação popular do ato de exercer a função de árbitro.

ÁREA DE RESTRIÇÃO – No jogo do bilhar, área demarcada no campo de jogo, determinando restrições para as jogadas (quadro).

ÁRBITRO – Pessoa habilitada a intermediar partida ou jogo, visando o respeito às regras.

ATAQUE – Jogada executada com intenção de encaçapar bola visada.

ATUAR – Exercer a função de árbitro.

BASE – Na modalidade “berilo”, do bilhar, marca onde é colocado o berilo.

BERILO – Pequeno objeto cilindroide usado na modalidade de mesmo nome, do bilhar.

BICO – Contorno arredondado no canto de tabela, junto às caçapas.

BILHAR – Nome da regra que originou as demais. Usa três bolas em mesa sem caçapa, concedendo pontos por repiques, ou carambolas, entre elas.

BITOQUE – Toque duplo ou múltiplo da bola tacadeira na sola do taco, geralmente originado no retorno daquela na direção do taco (puxada), tocando-o novamente.

BOCA DE CAÇAPA – Espaço junto à caçapa, entre os bicos das tabelas ou muito próximo destes.

BOLA COLADA – Situação em que existe contato entre duas ou mais bolas, ou entre bola e tabela.

BOLA COLORIDA – Na sinuca e no Snooker, qualquer bola diferente da branca e/ou da bola da vez, geralmente identificada por seu valor numérico no jogo.

BOLA CONTRÁRIA – No jogo do bilhar, a tacadeira do oponente (bola oposta).

BOLA OPOSTA – No jogo do bilhar, a tacadeira do oponente (bola contrária).

BOLA DA VEZ – Geralmente a bola de menor valor em jogo, ou a bola que será visada em determinada situação.

BOLA ELEITA – Bola colorida que é escolhida para jogada geralmente diferenciada.

BOLA ELEITA COMO LIVRE – Bola colorida que em determinada situação de jogo é escolhida e jogada como se fosse uma bola da vez.

BOLA EVIDENTE – Bola que, pela sua disposição, juntamente com a posição da tacadeira e o direcionamento do taco, é identificada como visada para a jogada, desobrigando que seja cantada antecipadamente.

BOLA FORA DO JOGO – Bola que está ou foi excluída do jogo.

BOLA LIVRE – Bola colorida que na situação de jogo não origina falta por não ser encaçapada na jogada de ataque, podendo exigir e ter características diferenciadas para jogada.

BOLA LIVRE ESPECIAL – Colorida livre que possibilita situações e/ou resultados diferenciados.

BOLA NA BOCA – Bola parada na boca de caçapa, ou muito próximo dela.

BOLA NUMERADA – Nos jogos do pool, bola que contém identificação numérica grafada.

BOLA NA MÃO – Situação da bola branca no início de partida, após encaçapamento ou lançamento para fora da mesa, permitindo escolha da posição de retorno ao jogo, geralmente dentro de área delimitada.

BOLA RETORNÁVEL – Situação em que uma ou mais bolas podem ser recolocadas em posições anteriores, para repetição de jogada (jogada retornável).

BOLA TENTADA – Bola visada em jogada de ataque, com intenção de encaçapamento.

BRANCA (DAR) – Encaçapar a bola branca (“suicidar”).

CAÇAPA – Bolsa ou equivalente que, adaptada entre as tabelas, recebe as bolas de jogo.

CADA UM CONTRA OS DEMAIS – Sistema de formação de “chave”, onde todos os integrantes enfrentam-se.

CAIR A BOLA – Encaçapar a bola, converter.

CAMPO DE JOGO – Espaço sobre pedra revestida de pano especial, delimitado por tabelas e caçapas.

CANTADA – Indicativo antecipado de jogada pretendida.

CANTAR – Esclarecer previamente a execução e resultado pretendidos.

CARAMBOLA – Toque de uma bola em outra, no jogo do bilhar. No contexto, designativo do jogo do bilhar.

CARREGAR A BOLA (Conduzir) – Empurrar a bola com mais de um toque, conseguindo força e direcionamento anormal (“carretão”).

CARRETÃO (Condução) – Empurrar a bola com mais de um toque, conseguindo força e direcionamento anormal.

CASSINO – Identificação regional para o berilo, modalidade do bilhar.

CASTIGO – Penalidade aplicada por não converter a bola visada em jogada de ataque.

CATEGORIA – Divisão de grupos por idade, sexo e/ou outros segmentos.

CEGAR (A BOLA) – Não atingir por toque a bola visada.

CHAVE – Grade ou tabela contendo conjunto de jogadores e indicação de sequência de jogos.

COMISSÁRIO – Autoridade em evento, compondo comissão com atuação específica.

CONDUÇÃO – Empurrar – conduzir, dar direção – a tacadeira com mais de um toque, conseguindo força e direcionamento anormal (carretão).

CONVERTER A BOLA – Encaçapar a bola.

CORTE OU DOUBLÉ – Inversão na direção e/ou sentido no movimento de bola, conseguido por toque em tabela.

CRUZETA – Ponteiro em “X”, servindo como suporte ao taco em situações especiais (“fancho”).

DAR BRANCA – Encaçapar a bola branca (suicidar).

DELEGADO – Comissário nomeado em evento, com poderes especiais de observação e relato de situações relevantes.

DESCARTE – Jogada de defesa ou de segurança, usada em tentativa de conseguir dificuldade lícita à jogada do oponente (defesa).

DEFESA – Jogada sem intenção de encaçapar bola, optando por tentativa de conseguir situação que licitamente dificulte a jogada do adversário.

DIRIGENTE – Autoridade ou entidade que administra atos e ações do esporte.

DUPLA ELIMINATÓRIA – Jogos em “chave” onde é eliminado o participante que sofre duas derrotas.

EFEITO – Movimento rotativo diferenciado que origina alteração na trajetória da bola, principalmente ao tocar em tabela, obtido por toque especial na tacada.

ELIMINATÓRIA SIMPLES – Jogo em que é eliminado o participante derrotado.

EMPUNHADURA – Extremidade mais grossa de taco.

ENCAÇAPAR – Usando a tacadeira, impulsionar bola para dentro de caçapa (converter).

ESPIRRO – Incidente com resvalo da sola do taco na tacadeira, originando resultado e movimento inesperados.

FALTA – Praticar jogada, ato ou condição anormal que origina penalidade.

FALTA AGRAVADA – Falta que, pela situação, origina agravantes na pena.

FALTA DISCIPLINAR – Falta com origem em ato anormal, contrariando regras e/ou conduta.

FALTA GRAVE – Falta ostensiva e agressiva, com resultados mais graves.

FALTA TÉCNICA – Desobediência às regras, sem dolo.

FREE BALL – Termo inglês; bola livre.

GIRO – Movimento com alterações na direção de bola, por uso de três tabelas.

GIZ (“PARA SOLA”) – Produto químico sólido que melhora o contato da sola com a bola.

GOLPE – Ação continuada de jogadas que consegue vitória em partida que apresentava desvantagem significativa.

GRADE DE CHAVES – Tabela com chaves, identificação de jogadores, sequência de jogos, horários e outros etalhes.

IMPASSE – Momento de jogo quando tacadas repetitivas não alteram a situação e sequência.

JOGADA DE SEGURANÇA – Jogada ou tacada de defesa.

JOGADA RETORNÁVEL – Jogada em que uma ou mais bolas podem ser recolocadas em posições anteriores, para repetição de ação.

JOGADOR – Aquele que joga, ou que sabe jogar.

JOGO – Conjunto predeterminado de partidas ou o ato da pratica do esporte.

JUIZ – Abreviação indicando aquele que exerce a função de árbitro.

LINHA DO BAULK – Termo inglês, traduzido para “linha de impedimento”.

LINHA DE IMPEDIMENTO – De uso nos jogos do bilhar, no Snooker mantida apenas por tradição, sem função definida, é linha transversal demarcada entre as tabelas laterais inferiores, coincidindo com a reta do semicírculo “D”.

LINHA DE SAÍDA – No jogo do bilhar, linha transversal à longitudinal, sobre o campo de jogo superior, que delimita área e pontos usados para saída de partida e outras condições especiais.

LINHA LONGITUDINAL – Linha reta imaginária que divide o campo de jogo em duas partes retangulares iguais, direita e esquerda no sentido de saída.

LINHA TRANSVERSAL – Linha reta imaginária perpendicular à longitudinal.

MARCA DE BOLA – Ponto no campo de jogo, demarcado ou subentendido, identificando posição de bola para saída e retorno ao jogo em partida.

MARCADOR – Segundo auxiliar do árbitro.

MASSER (“MACÊ”) – Termo francês mantido por tradição, identificando movimento anormal e em curva acentuada da tacadeira, usado para contornar obstáculos próximos, provocado por toque com técnica diferenciada.

MATAR A BOLA – Encaçapar a bola.

MELHOR DE “2 PONTOS” – Sistema com dois jogos, geralmente creditando 1 ponto por vitória, ½ (meio) por empate e critérios para eventual desempate, permitindo indicação de vencedor.

MELHOR DE “X” PARTIDAS – Número impar de partidas (igual a “X”), indicando vencedor ao atingir vitórias em número igual ao resultado da divisão por 2 na operação de “X”+1.

MODALIDADE – Prática de jogo com regras específicas.

MORTE (de bola) – Encaçapamento de bola.

NOME USUAL – Nome, apelido ou forma de tratamento pelo qual alguém é habitualmente identificado.

OFICIAL – Reconhecido pelas autoridades do esporte.

OPONENTE – Adversário de jogador.

PARADA – Situação em que toque especial na tacadeira obtém a parada desta, após tocar a bola visada.

PARADA “ANDANDO” – Parada planejada.

PARADA PLANEJADA – Parada conseguida em ponto pouco além daquele que seria normal, com avanço predeterminado (parada ou presa andando).

PARTIDA – Tempo usado por jogadores para encaçapar todas as bolas em jogo, respeitando regras.

PARTIDA COMPLEMENTAR – Condição que permite identificar vencedor em partida encerrada com empate no placar, por meio de reinício de partida, com adequações pertinentes, usando apenas as bolas 7 e tacadeira. É condição desconsiderada na sequência das partidas normais do jogo.

PARTIDO – Pontos concedidos a adversário, que inicia partida com vantagem.

PASSAR A TACADA – Recusar o direito à ação, obrigando o adversário a jogar.

PLANILHA DE JOGOS – Demonstrativo da distribuição dos jogos ao longo de um evento, com detalhes.

PONTE – Taco longo com ponteira em forma de “U” invertido, servindo de suporte ao taco normal em situação que exige sobreposição à bola.

PONTEIRA DE TACO – Extremidade mais fina de taco.

POOL – Nome das regras americanas do esporte, que abrange modalidades identificadas como “Bola Oito”, “Bola Nove” e “14×1”, usando bolas numeradas, literalmente.

PRESA “ANDANDO” – Parada planejada.

PREPARAR A BOLA – Jogar bola impulsionando a tacadeira para outro ponto que facilite a tacada seguinte (ajeitar a bola).

PROLONGADOR – Objeto adaptável ao taco normal, temporariamente conseguindo maior comprimento.

UXADA – Movimento da bola branca com giro contrário ao rolamento natural, provocando retorno após tocar a bola visada.

QUADRO – No jogo do bilhar, área demarcada no campo de jogo determinando restrições para jogadas (área de restrição).

RECUSA DE TACADA – Não aceitar a ação, obrigando o adversário a jogar.

REGRA – Norma que rege, organiza e proporciona sequência e conjunto lógico à partida e/ou jogo, ou outras situações que as necessitem.

REGULAMENTO – Conjunto de normas que organiza e rege desenvolvimento de evento, jogos, situações, procedimentos e atos do esporte.

REPIQUE – Toque em bola, geralmente pouco acentuado, provocando desvio na direção da bola jogada.

RETORNO DE BOLA – Volta de bola ao campo de jogo continuando partida e/ou a posições anteriores, proporcionando repetição de jogada.

SAÍDA – Primeira tacada em partida.

SALDO DE JOGOS OU PARTIDAS – Resultado na subtração de número de derrotas do número de vitórias, geralmente um dos métodos usados para indicar vencedor em ocorrência de empate.

SEGUIDA – Impulso mais acentuado na trajetória normal da bola branca, após tocar na bola visada.

SEMICÍRCULO D – Linha fechada em forma maiúscula da letra “D”, demarcada no campo de jogo.

SINUCA (1) – identificação da modalidade com regras brasileiras. É a mesma “Regra de Ubatuba”, tecnicamente aperfeiçoada.

SINUCA (2) – No contexto de desenvolvimento de partida, também identifica situação obtida por meio de recurso estratégico, em jogada de defesa licitamente executada, que impõe dificuldades na jogada de praticante, podendo acontecer acidentalmente.

SINUCA MISTA – identificação de modalidade criada para utilização temporária, com predominantes características do Snooker, regra internacional, mescladas com mínimas normas da Sinuca, usada para facilitar a transição do praticante da Sinuca para o Snooker.

SINUCA DE BICO – Sinuca onde o primeiro obstáculo é o canto de tabela.

SITUAÇÃO DE IMPASSE – Condição de jogo em momento que tacadas repetitivas não alteram a sequência e/ou situação.

SNOOKER – Termo inglês, identificando a regra internacional do esporte.

SNOOKERED – Termo inglês; sinucado.

SOLA – Artefato de couro ou similar adaptado à ponteira do taco, proporcionando melhor resultado no contato com a bola.

SUICÍDIO – Encaçapar, ou matar, a bola branca.

SÚMULA – Documento onde são transcritos pontos, resultados, ocorrências e detalhes de jogo.

TABELA – Laterais que delimitam o campo de jogo. Termo também usado para indicar desvio na direção de bolas.

TACADA – Ato de impulsionar a bola branca em direção à bola visada.

TACADA CONTÍNUA – Sequência ordenada com Encaçapamento sequencial de duas ou mais bolas.

TACADA DE SEGURANÇA – Jogada ou tacada de defesa.

TACADEIRA – Bola que recebe a tacada.

TACÃO – Taco comum com comprimento maior que o normal.

TACO – Artefato alongado de madeira ou material sintético, com um dos lados afilado, usado para impulsionar a tacadeira.

TANGENCIAR – Tocar ponto lateral extremo da bola visada (“tirar fino”).

TELEFONE – Encaçapar bola indiretamente, por transferência de movimento da bola visada à outra.

TEMPO DE AÇÃO – Tempo usado para planejar e praticar uma ou mais tacadas.

TEMPO DE AQUECIMENTO – Tempo concedido para algumas tacadas, em treinamento antes de iniciar jogo.

TIRAR FINO – Tocar ponto lateral extremo da bola visada (“tangenciar”).

TOUCHING – Termo inglês; colado(a).

TOUCHING BALL – Termo inglês; bola colada.

TRANCAR (A PARTIDA) – Encerrar partida com vitória por meio de tacada contínua. Encaçapar todas as bolas em jogo.

VANTAGEM – Diferença de pontos, ou de partidas, a favor de um dos adversários. Indica também pontos oferecidos a oponente, que inicia partida com crédito.

VIROLA – Artefato em formato anelar, para reforço adaptado à ponteira de taco.

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP