Fatos ou Chistes? – Identifique o “Prego”

Os “psicólogos” da sinuca ensinam que; o “prego”, jogador ruim que se auto intitula “forte”, e parece que realmente acredita nisso, é facilmente identificado pelos seus hábitos:

  • fica extremamente ofendido se lhe oferecem “partido” (iniciar partida com vantagem em pontos);
  • a todo momento, principalmente após errar bola e “abrir o jogo” para o adversário, se declara “muito azarado”;
  • sempre tem uma perfeita “tese” para explicar a razão involuntária da sua péssima jogada;
  • todas as vezes em que vai jogar uma bola “fácil” afirma: “agora eu fecho a partida”. E geralmente erra a tacada;
  • sempre que erra uma bola fácil enfatiza: “mas veja só a colocação da branca… se tivesse encaçapado aquela eu ‘trancava’ a partida!”;
  • é especialista em conseguir “complicar” as jogadas mais simples, envolvendo-se, sozinho, em situações terríveis;
  • sempre erra as bolas decisivas: o taco “espirra”, a bola “bica”, o “furo” do tecido desvia a bola, a sujeira da mesa atrapalha, etc., etc.;
  • adora o jogo emparceirado (de duplas), para se colocar na condição de técnico perfeito e condenar todas as jogadas do parceiro;
  • repetida e eternamente conta com orgulho das (raras) partidas que já ganhou, descrevendo minuciosamente as jogadas “altamente técnicas e perfeitas”;
  • está sempre “nervosinho” e permanentemente reclamando ao errar bolas, “por causa de algo ou de alguém”. Alguma coisa sempre o “atrapalhou” na jogada mal sucedida: o telefone que toca, o garçom que passa, a conversa dos assistentes, o torcedor do adversário, a iluminação fraca ou forte, o motor do ar condicionado, a fumaça de cigarro, a janela aberta ou fechada, o adversário, a mesa com “caídas”, o taco, as bolas, tudo… exceto ele próprio!

Qualquer semelhança com os hábitos do leitor… é mera coincidência!

Redação com base no informativo “Sinuca em Destaque – RJ – 08/96”.

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP