Escolha e Manutenção do Equipamento de Sinuca – Taco

AQUISIÇÃO

Na compra do seu taco evite as lojas especializadas em esportes genéricos, que costumam ter poucas opções de materiais para a sinuca e, geralmente, com produtos visualmente atrativos, mas de baixa ou nenhuma qualidade. Prefira as casas especializadas no ramo, mais confiáveis e com grande variedade para a sua escolha.

Não delegue essa missão para terceiros. A escolha é pessoal e só o usuário poderá identificar o taco correto. Mesmo sendo de qualidade perfeita, poderá ser imprestável para você, por características que não lhe sirvam.

Ninguém melhor que o bom profissional para orientar a escolha. Acompanhado de um experiente conhecedor, de sua confiança, não haverá erro.

MADEIRA

Muitas opções existem na escolha de madeira. A tradicional e insuperável “marfim”, imbuia, pau-brasil, pau-ferro, “goiabão”, ash, e muitas outras. Esta última, ash, é geralmente a madeira preferida pelos profissionais mundiais. Embora desaconselhado, até mesmo o pinho-de-riga é usado, pela beleza das suas manchas, mas, não se esqueça de que tacos muito enfeitados por desenhos, mesmo naturais, poderão incomodá-lo nos movimentos preparatórios. Nem todos acostumam-se com isso! As vezes até uma pequena mancha incomoda o praticante.

Na produção é importante que a madeira esteja completamente seca, portanto, quanto mais velha, melhor. O taco estará menos sujeito a danos por batidas quando a madeira não é excessivamente macia, como a pinho-de-riga.

Com boa madeira a disposição, a qualidade dependerá do artesão que o produzirá, e ai está o principal dos segredos; a habilidade do artista define a qualidade do taco. E, nesse particular, com segurança podemos afirmar que os bons artesões brasileiros são mestres nessa arte, produzindo tacos superiores a praticamente todos os outros países.

Exceto pelo visual, os mais famosos tacos, mesmo os ingleses “de grife”, não fazem inveja aos nossos. Aliás, eu não trocaria os bons brasileiros por nenhum dos internacionais já encontrados, mesmo os caríssimos tacos “de grife”. Perdemos em qualidade nas bolas, solas, giz e panos, mas estamos muito bem servidos em tacos.

Sem nenhum interesse comercial particular, mas sim, em razão de justiça pela real e ótima qualidade, posso comentar que; um fabricante brasileiro de grande experiência na produção de tacos de alta qualidade, que agrada aos mais exigentes e exímios praticantes, sendo hoje uma referência nacional no esporte, é a “Taco Set”, do amigo Kodama, de São Paulo, capital. Conheça o seu site: http://www.tacoset.com.br/

COMPRIMENTO

O comprimento mais ao gosto do brasileiro está entre 1,50 m e 1,55 m. Entretanto, nada impede que seja pouco mais curto ou longo, variando conforme a altura do praticante e a sua preferência.

Segundo informações, na Inglaterra a maioria das escolhas está entre 1,45 m e 1,47 m. Não conheço a razão, mas, as regras internacionais determinam como mínimo o comprimento de 91,4 cm (3 pés).

VIROLA

Também é variável e atende ao gosto do usuário o diâmetro da virola, objeto anelar que protege o ponteiro do taco. Para a Sinuca e o Snooker é tida como ideal com 10 mm a 11 mm. Menos que isso é considerado desnecessário e enfraquece o ponteiro. Mais que 11 mm é usado para o Pool, americano, e o Bilhar Francês, que usam bolas maiores e mais pesadas.

SOLA

Conheça os detalhes sobre solas na página especialmente dedicada a esse importante apetrecho, na matéria deste mesmo site.

PESO

No peso a diversificação é muito grande. Varia bastante conforme a madeira usada, o comprimento, diâmetros, incrustações, etc. Na maioria oscila entre 400 a 500 gramas, embora existam usuários que gostam de mais leves e/ou mais pesados. Nesse particular também é importante a preferência do praticante.

DETALHES

Não afirmamos que haja qualquer correlação, mas, tratando-se de um hexacampeão mundial, não podemos deixar de observar que o Steve Davis, seis vezes campeão mundial, com altura de 1,88 m, usa taco com 1,46 m de comprimento, 482 gramas de peso e diâmetro de 10 mm na virola.

Na escolha do seu taco deixe o gosto pelo visual em segundo plano. Identifique pela boa madeira, qualidade no acabamento, peso, comprimento, balanceamento e diâmetros ideais para você. Somente em igualdade entre algumas peças use a aparência para decidir.

Você deve preferir o taco inteiriço, ou o articulado, conhecido como “de rosca”? Depende do seu gosto e preferência! O desmontável é mais prático para transporte e, sendo de boa qualidade, não vai influenciar o jogo para melhor ou pior. Entretanto, é interessante saber que a maioria dos jogadores experientes tem marcante preferência pelos tacos inteiriços.

Escolhido o taco uma boa capa é necessária, pois o protege da sujeira, umidade, calor, incidentes, etc. É importante que seja personalizada, pois não é raro um jogador sair do salão com taco de terceiros, em função de capa igual ou muito parecida. Os estojos rígidos, que atraem muito o iniciante, protegem melhor mas são desconfortáveis, pesados e incômodos, sendo indispensáveis apenas para quem os leva em constantes viagens de avião e/ou de carro. Nesses casos a sua proteção é importante! Hoje existem ótimas capas de materiais flexíveis menos flácidos e bastante superiores aos tradicionais vinil, napa e courvin.

Seguem algumas observações que podem ajudar:

  1. em casa, conserve seu taco em lugar seco, arejado e livre de variações intensas de temperatura, preferencialmente fora da capa e em perfeita posição vertical. Se for o desmontável, guarde-o montado. Se optar por guardar dentro da capa, pendure-o na vertical, com a sola para cima. Não deixe peso sobre ele, por menor que seja;
  2. nunca deixe o taco no carro. Além do risco de furto, o sol vai empená-lo. Mesmo ao abrigo dos raios solares diretos, o intenso calor dentro do veículo é prejudicial. Isso vale também para o trajeto entre a sua casa e o salão. Ainda que por pouco tempo, a exposição ao forte calor geralmente é fatal;
  3. terminou o jogo? Não corra riscos! Guarde o taco na capa, imediatamente! Nos salões não se descuide. Além dos mal intencionados, sempre existe o distraído que troca tacos e, mesmo querendo, nunca mais encontra o proprietário para desfazer a confusão;
  4. é indelicado confessá-lo, mas afirmo que eu não empresto taco para terceiros, principalmente iniciantes. Conforme a intensidade, as tacadas incorretas prejudicam a sola e a virola. Além do mais, nem todos têm os mesmos cuidados que o proprietário;
  5. tendo que deixá-lo em algum lugar, que seja na vertical, ao máximo possível. Depositando-o horizontalmente em mesas e balcões, descuidados poderão pôr pesos sobre ele, além de ampliar a possibilidade de outros danos;
  6. se você tem o hábito de guardar o taco no salão que frequenta, confirme que ninguém tenha acesso a ele. Não é raro os (ir)responsáveis de salões emprestarem os tacos de terceiros, na ausência dos proprietários;
  7. sem prática é preferível evitar o uso de lixa na sola. Se inevitável, use-a com moderação, ou a consumirá de forma inadequada. Usando um bom giz de sola, e passando-o à cada tacada e na forma correta, a sua própria fricção ajudará a manter a sola no estado adequado;
  8. nunca use lixa na madeira, pois rapidamente a deformará e desequilibrará o taco. Deixe esse serviço para os profissionais e mais experientes. Para limpar a madeira em emergência e de forma mais acentuada que uma flanela, opte pela palha de aço fina, sem exagerar na esfregação;
  9. um pouco de talco sobre as partes da mão onde o taco desliza ajuda bastante. Alguns exageraram usando talco até na palma da mão, sem qualquer efeito prático, prejudicando a mesa e contribuindo com impurezas sobre e sob o pano. Quem sua muito nas mãos pode optar pelo uso de luvas próprias para o esporte;
  10. embora possa ser feito com certa facilidade, sem conhecimento e prática evite a troca de sola sem acompanhamento. Deixe para um profissional, ou alguém de maior experiência, até que aprenda;
  11. não tente trocar a virola! Embora parecendo serviço simples, é trabalho de extrema precisão, que exige um bom profissional.

“Clicar” sobre as imagens exibe ampliação.

As partes do taco:

tacopartes

Os “tipos” de tacos:

tacosdiversos

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP