Educação em poesia

Educação em poesia – Para reflexão

De Fabio Brazza, poeta, músico e improvisador, que já conta com mais de 1 milhão de seguidores nas redes sociais. É neto do poeta Ronaldo Azeredo.

Com 03m12s o vídeo que segue é oficial, de música de Fabio Brazza, com a participação do violinista Raphael Braga, que está na faixa 12 do álbum Tupi, or not Tupi, do Fabio Brazza. Foi publicado no Youtube em 17 de out de 2016 – Produtos Oficiais: www.lojadobrazza.com.br. Gravado no MonoMono Estúdio

A Letra

Imagina como seria
O nosso querido Brasil
Se na matéria estudantil
Se incluísse a poesia
Se nosso prato do dia
Fosse o verso dum poeta
Uma dieta seleta
Pra deixar a mente sadia
De Antônio Goncalves Dias
A Poesia Concreta

E que tivesse na merenda
Um poema por semana
Bastante Mario Quintana
Pra que a molecada aprenda
Com graça e curiosidade
O quanto aprender é bom
De Chico, Vinicius, Tom
A Carlos Drummond de Andrade
E que na hora do recreio
Entre vivas e salves
A criançada em anseio
Clamasse por Castro Alves

Imagina como seria se ao invés de celulares
Nossos jovens se distraíssem
Lendo livros aos milhares
Seriam suas mentes mais lúdicas
Imagina se as escolas públicas
Fossem iguais às particulares
Se Augusto de Campos e Sergio Vaz
Fossem nossos artistas populares

Hoje em dia as músicas são tão pobres
Não consigo ver nenhuma vantagem
Numa letra sem vida
Totalmente desprovida
De qualquer mensagem

Se a gente é o que a gente lê
Se a gente é o que a gente ouve
Agora dá pra entender
Com nossos jovens o que houve
Mas imagina se ao invés
De ostentação e pornografia
Eles recitassem cordéis
E ostentassem poesia
Imagina como seria
Se eles lessem Gabriel Garcia
Mario Vargas Llosa
Escutassem Mercedes Sosa e Paco de Lucia
Se soubessem quem foi Vicente Huidobro
Talvez aprenderiam o dobro
Do que aprendem hoje em dia

Mas é que sabotaram
A Educação Brasileira
É perda de tempo ouvir Hip Hop
Pois o que não dá ibope é besteira
A mídia nos entope
Com o lixo do POP
E não com Manuel Bandeira
A mídia nos Dopa
De novela e de Copa
E o povo feito tropa
Caminha alienado
Mas esse caminhar restrito
Não é o mesmo descrito
Por Antônio Machado

Aliais alguém sabe quem foi Antônio Machado?
Não te culpo se não sabia
Pois eu também não saberia se não tivessem me contado

Eu sei que este mundo que tenho imaginado
Não passa de uma utopia
Mas no meu ponto de vista
Acredito que ele exista
Pois tudo existe aonde existe a poesia
Por isso tento fazer minha parte
Pra disseminar sabedoria
Pra que ao menos nossa arte
Não se transforme em mera mercadoria
Cada verso é um resgate
Em nome da poesia
Pra que essa sociedade vazia
Pouco a pouco não lhe mate

FABIO BRAZZA, neto do poeta Ronaldo Azeredo, além de poeta é também músico e improvisador, que já conta com mais de 1 milhão de seguidores nas redes sociais. Começou a ganhar visibilidade pela parceria com o “Desimpedidos”, maior canal dedicado a futebol do YouTube, onde ficou conhecido como criador das batalhas de rap entre times de futebol. Sua paixão pelo futebol, somada a sua habilidade em criar rimas, se transformaram em um convite para ser o repórter oficial da Florida Cup, onde teve oportunidade de fazer homenagens em forma de improviso para grandes nomes do esporte, como Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho e Chicharito, em vídeos que acabaram sendo compartilhandos pelos próprios jogadores e foram parar em canais como a Televisa (MEX), NBC (USA) e Bundesliga (GER).

Fabio Brazza faz também hip-hop popular brasileiro, música brasileira e hip-hop, numa fusão perfeita com as melhores letras do rap nacional da atualidade, crítica social, alegria, ritmo e poesia enchendo os olhos e o coração. Mas seu talento, inteligência e dom de improvisar rimas já fizeram com que ele dividisse o microfone com grandes nomes do gênero, como Gabriel o Pensador, Edi Rock do Racionais MC’s e Chali 2 na do Jurassic 5. Em abril de 2014 lançou seu primeiro álbum, “Filho da Pátria”, e já foi parar na lista dos 10 artistas que estão reinventando a música brasileira, do site americano Wondering Sound.

Entre videoclipes, poesias e improvisos de rap, já conta com mais de 110 milhões de visualizações nos seus vídeos, e vem transformando a cabeça de uma geração de jovens que, depois de conhecerem seu trabalho, mudaram a relação com o conhecimento. Atualmente está lançando seu segundo álbum “Tupi, or not Tupi”, que conta com as participações de Arnaldo Antunes, Caju e Castanha e Paula Lima, e assinou contrato com uma editora para escrever um livro que conta sua história, mesclada com trechos de músicas e poesias próprias.

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP