A religião ou crença melhor e mais correta

Religião e Crenças – Qual a certa e a melhor?

Recentemente, escrevendo sobre o nosso sistema educacional, externei minhas convicções de que o nosso ensino deve ser plenamente laico, em todas as escolas e níveis, e que temos o dever, a obrigação, de conseguir atingir essa meta, sabiamente determinada em nossa Constituição!

Declinei ainda a opinião de que, se for necessário atender e apaziguar os acentuados entendimentos contrários ao ensino totalmente laico, deveremos então determinar o ensino, estudo e debate da religiosidade, em suas origens, desenvolvimentos e diversificações, sem influenciar e direcionar para crenças ou descrenças específicas.

Tenho e mantenho tais convicções e propostas, que à mim são cada vez mais fortes.

Não pertencendo ao escopo daquele assunto, naquele texto não declinei o que aqui externo, a seguir, na forma de complementação, de adição à esse respeito, de como entendo esse relevante e delicado assunto; as religiões e crenças.

Penso que a religiosidade é uma importante e vital necessidade do ser humano, ao menos de sua maioria, que precisa de algo em que crer, em que acreditar, mantendo viva uma crença e convicção que lhe ampare, que alivie seus males, que lhe ofereça a segurança emocional e psicológica não encontrada em outros meios, lhe oferecendo esperanças de bom futuro, nesta e/ou em eventual próxima existência.

Mas, nessa condição, qual é a religião, a crença, a prática religiosa mais certa, mais correta, mais verdadeira, que possa ser adotada e mantida? A minha, a sua, a dos outros?

Acredito que; a melhor das crenças e das práticas religiosas, a mais perfeita delas, a verdadeira, é aquela que você aceita como sua e lhe faz bem, que ensina e induz à boas e salutares práticas na produção do bem à si e aos que lhe cercam, que oferece amparo e segurança emocional, incentivando e trazendo a tranquilidade nos hábitos e nas práticas no seu cotidiano, para com sua família e seus pares, próximos ou não. É aquela que estimula bons pensamentos e atos condizentes, aquela que lhe dá prazer e satisfação pelo que está fazendo, produzindo e praticando o bem!

Essa é a melhor religião do mundo, seja ela qual for. A pessoa que assim crê e vive deve manter suas convicções e prosseguir em suas práticas.

Nada pode ser melhor que isso.

Paulo Dirceu Dias
paulodias@pdias.com.br
Sorocaba – SP
09.03.2016